Se você está cansado de trabalho
imensuráveis e busca por resultados,
fale com a gente.
A Tract é seu time de
crescimento, seu parceiro.

Rua Primeiro de Maio, 105,
2º andar, Volta Redonda/RJ
T. +55 21 99946-1872
[email protected]
 

Tract Co

Porque trabalhar sozinho?

Pare agora de trabalhar sozinho!

Quando eu trago essa provocativa dizendo para você parar agora de fazer seus trabalhos sozinho, eu não estou indo ao pé da letra, ou seja, não estou realmente dizendo que você deve parar de fazer seus jobs no seu escritório ou no quarto literalmente sozinho, com seus rascunhos e músicas.

A reflexão que eu quero trazer aqui não é sobre ter um time de homem só, mas, sim, sobre se isolar nas suas tomadas de decisões, seja realmente solo ou fazendo parte de uma equipe.

Um dos grandes problemas do desenvolvimento de projetos é quando não há interações sobre todas as partes envolvidas, quando eu digo todas as partes, eu digo: de quem possivelmente contrata, de quem desenvolve o projeto e de quem provavelmente irá receber os resultados de tudo isso.

Um dos tipos comuns da falta de interação é o isolamento para tomadas de decisão, ou seja, quando se há uma escolha a ser feita, quando se há uma decisão a ser tomada fundamental para o prosseguimento do projeto seja solo ou em time, muitos se isolam de opiniões e feedbacks e preferem acreditar apenas na sua suprema sabedoria, às vezes até de forma inconsciente.

É esse o real problema de quando eu digo “trabalhar sozinho”, pois você até pode dizer que pede ajuda das pessoas para fazer algo ou criar alguma coisa, entretanto, se você não leva para sua prática ou não liga para opiniões das pessoas na hora de realmente tomar uma decisão, você está trabalhando isolado e “sozinho”.

Nós, seres humanos, como já dito por Maslow, temos a necessidade de trabalharmos em conjunto, isso faz parte da nossa natureza e seria interessante se usássemos isso em diversos âmbitos, tanto nos trabalhos manuais e operacionais, quanto nos trabalhos teóricos e intelectuais.

Temos diversas pessoas ao nosso redor com perspectivas e visões de mundo completamente diferentes das nossas, que podem contribuir muito para o que estamos fazendo.

Independentemente, se os feedbacks que você irá recolher sejam positivos ou negativos, se sejam a favor ou contra, se são de uma pessoa com um aprofundamento baixo ou alto no assunto, de qualquer forma ele pode impactar diretamente na sua tomada de decisão.

Imagine que em vez de você alimentar seu ego, entregando um projeto que tenha apenas suas convicções, você divida esse fardo de pensar em tudo sozinho com qualquer um ao seu redor, seja com stakeholder ou pessoas normais.

Vamos a um exemplo: imagine poder pegar um feedback com a sua avó sobre um projeto de um App de delivery, após algumas perguntas a ela você entende que incômodo que sua avó tem em relação a isso é que talvez ela não gostaria que alguém entregasse o que ela pediu, mas que, na verdade, alguém fosse com ela até o mercado fazer as compras, pois ninguém sabe escolher as maçãs como ela.

Isso pode ser um bom insight para um dia incluir pessoas como sua avó no seu nicho de mercado ou realmente para validar que não são essas as pessoas que você quer atingir. Viu como pode ser legal perguntar e não trabalhar “sozinho”?

Pense agora no número de pessoas que já não poderiam ter falado algo que pudesse te ajudar em um trabalho.

Espero que lendo esse texto até aqui você tenha percebido a importância de não se isolar de opiniões e feedback. Também que já esteja pensando em como incluir mais pessoas no seu processo de tomada de decisão. Para finalizar, vão algumas dicas de como conseguir colocar tudo isso em prática e parar de trabalhar “sozinho”:





1- Saiba como e o que perguntar.

Saber fazer as perguntas certas é extremamente importante para que você consiga extrair das pessoas algo que realmente vá ser útil para o seu projeto.

Outra coisa muito importante é saber como perguntar, ou seja, como perguntar sem causar muitas dúvidas e principalmente sem influenciar.

2- Crie pontos de feedback ao longo do projeto.

Identifique em quais etapas do processo você acredita que precisará de opiniões para tomar uma decisão importante e inclua isso no escopo do seu projeto.

Crie quantos quiser, o importante é que tenha, em alguma parte do projeto, um momento em que você abra seus conceitos e fundamentos para que as pessoas possam te dar o olhar delas sobre aquilo.

3- Use ferramentas e técnicas.

A partir do momento que você estabeleceu para colher feedback, é preciso ter um mínimo de padrão e organização para fazê-lo. Isto é utilize alguma ferramenta para reunir todas as infos, pode ser uma planilha ou um gerenciador de projetos, nos quais você possa organizar tudo.

Use técnicas, desenvolva esses pontos de interação de maneira dinâmica como algum tipo de teste ou jogo, algo que incentive essas pessoas a “trabalhar” junto com você.





Essas são algumas ideias e dicas que você pode incrementar no seu projeto ou em ocasiões isoladas, você quem sabe. O importante é entender que não se vai a lugar nenhum sozinho e que ouvir, perguntar e entender diversos pontos de vista são princípios fundamentais para o desenvolvimento do seu projeto e do seu como profissional e como pessoa.

Powered by Rock Convert
Vinícius Tamy

Um Designer, sonhador, com muita fé e acima de tudo muito grato. Um rugbier apaixonado por todos os esportes e por toda forma de manifestação que prega princípios. Um palhaço, apaixonado por sorrisos e gargalhadas. Um criativo até que provem ao contrário.

Sem Comentários

Poste um comentário